NOTÍCIA - Policial/Acidente

11 de abril de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Quadrilha presa pelo Gaeco tinha três ex-PMs e "braço" do Comando Vermelho no Estado.

Os acusados possuiam planos "diabólicos" para executar e aumentar violência
Quadrilha presa pelo Gaeco tinha três ex-PMs e

“OPERAÇÃO CONCILIÁBULO”  -  Vail da Silva Abreu, é um policial militar, hoje simplesmente um dos “braços” do Comando Vermelho”, uma organização criminosa, cujo “QG) central fica no Rio de Janeiro, mas que em Mato Grosso seu principal líder, é Paulo César da Silva, o “Petróleo”. Vail é um dos presos pela “Operação Conciliábulo”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), na manhã desta segunda-feira, 10.

 “Petróleo”, segundo as investigações do Gaeco, é o principal líder do Comando Vermelho em Mato Grosso, que também funciona como um dos pontos de apoio da organização criminosa, com "braço" no Sistema Prisional e conta com apoio, segundo ainda o Gaeco,  de ex-policiais militares deste Estado.

 A quadrilha, de acordo com informações do Gaeco, era formada por Vanderson Santos Marçal Sales, Marcos Roberto Alves, Vail da Silva Abreu, Ana Lúcia Pereira de Arruda, Vanderlei da Silva, Valdeil Pontes do Nascimento, Cerilo Pinto de França, Paulo César da Silva e Paulo Roberto Leal, todos já devidamente preso em comprimento a dez mandados de prisões preventivas expedidas pela Justiça de Mato Grosso após representação criminal do Ministério Público Estadual (MPE).

 Três ex-policiais militares são integrantes da quadrilha, um deles, no entanto, ainda está foragido, mas está sendo “caçado” e pode ser preso a qualquer momento. Por isso seu nome ainda não aparece na relação dos bandidos já preso durante a “Operação Conciliábulo” em mandados cumpridos em Cuiabá e na cidade de Cáceres (Oeste, a 220 quilômetros da Capital)..

 PLANOS DIABÓLICOS – Segundo informações do Gaeco, a quadrilha já tinha planos para cometer mais crimes violentos em Cuiabá e pelo interior do Estado Mato Grosso nos próximos dias. Planos agora “abortados” com a prisão da quadrilha.

 INTERROGATÓRIOS – Todos os presos nesta primeira fase da “Operação Conciliábulo” , segundo o Gaeco, serão interrogados ainda no final da tarde desta segunda-feira, quando vão ser apresentados em Juízo em Audiência de Custódia. Todos podem ser liberados, ou transferidos para o Sistema Prisional, onde devem aguardar o julgamento presos.

 AÇÃO CONJUNTA - As investigações e a deflagração da “Operação Connciliábulo”  foram realizadas por meio de ação conjunta entre policiais do Gaeco e da Polícia Militar (PM), de policiais civis,  promotores de Justiça e delegados de Polícia Civil do Gaeco. O “esquadrão” de combate ao crime organizado ainda tem o apoio no cumprimento dos mandados judiciais, policiais do Batalhão de Operações Policiais (Bope) e Força Tática de Cáceres. No total, foram empregados mais de 70 homens.

Quadrilha presa pelo Gaeco tinha três ex-PMs e "braço" do Comando Vermelho no Estado.
Fonte: Querência em Foco com 24 Horas News

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.