NOTÍCIA - prefeitura/politica

13 de abril de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Pedro Taques não fixa prazo para retorno, mas garante que Wilson reassume Secid para tocar obras do VLT

Pedro Taques não fixa prazo para retorno, mas garante que Wilson reassume Secid para tocar obras do VLT

Principal entusiasta da conclusão das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o deputado Wilson Santos (PSDB) vai reassumir por pouco tempo a secretaria de Estado de Estado das Cidades (Secid). O anúncio partiu do governador José Pedro Taques (PSDB) que não quis fixar prazo e optou pela palavra breve, para definir o período em que o parlamentar tucano permanecerá na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.
 
“Lógico que Wilson retorna [como titular da Secid]. Ele só foi cumprir uma missão lá [no Poder Legislativo] e vai voltar para a Secretaria”, assegurou o governador, par a reportagem do Olhar Direto, nesta quarta-feira (12), durante o 1º Fórum de Gestão Cultural, no Cine Teatro Cuiabá.

Leia Mais:
- Wilson Santos deixa Secid para defender acordo do VLT na Assembleia Legislativa
 
- Dilmar afirma que Wilson Santos é “bem vindo” de volta à AL e aceita até passar a liderança do governo

Então no PDT, Pedro Taques demonstrou confiar na capacidade de articulação de Wilson. Tanto que, em fevereiro de 2015, convocou para exercer a liderança do Poder Executivo, na Assembleia Legislativa. Além da confiança, ele aproveitava também os anos de ‘janela’ do deputado tucano, que já tinha exercido vários mandatos de deputado estadual e federal.
 
Wilson Santos pediu exoneração da Secid na última segunda-feira (10) para retomar o mandato, no Edifício Dante Martins de Oliveira, por um período de 15 até 60 dias. O deputado estadual Jajah Neves (PSDB) retornou à primeira suplência.
 
O principal desafio de Santos é convencer os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa do Mundo, principalmente o deputado Oscar Bezerra (PSB), de que o acordo firmado com o Consórcio VLT para retomada das obras do modal é viável, para o Tesouro do Estado. Santos foi membro da CPI.
 
O governo de Mato Grosso firmou compromisso com o Consórcio para a conclusão do VLT em 24 meses, no valor de R$ 922 milhões. Taques e Santos asseguram que Mato Grosso está conseguindo uma economia de quase R$ 500 milhões e submeteram o contrato à análise do Ministério Público do Estado (MPE) e Ministério Público Federal (MPF).
 
Oscar Bezerra não aceita a argumentação e defende que o relatório final da CPI das Obras da Copa seja votado no Plenário das Deliberações Renê Barbour, antes de retomar as obras.

Pedro Taques não fixa prazo para retorno, mas garante que Wilson reassume Secid para tocar obras do VLT
Fonte: Querência em Foco com Ronaldo Pacheco

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.