NOTÍCIA - Policial/Acidente

19 de maio de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Marido e mais dois são presos suspeitos de matar estudante em Luziânia, GO.

Segundo polícia, motivação do crime seria uma suposta traição da vítima. Thaís Alves Pereira, 20, foi morta com um tiro na cabeça após sumir por 5 dias; corpo foi achado em decomposição.
Marido e mais dois são presos suspeitos de matar estudante em Luziânia, GO.

A Polícia Civil prendeu três homens suspeitos de matar a estudante Thaís Alves Pereira, de 20 anos, cujo corpo foi encontrado em um matagal de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Entre os detidos, está o marido da vítima. De acordo com as investigações, o crime foi cometido sob a alegação de supostas traições praticadas pela jovem.

O trio foi apresentado pela polícia na quinta-feira (18). O marido de Thais, Denilson Oliveira, foi preso apontado como mandante do crime. Já Francisco Oliveira Santos seria o autor do homicídio. Por fim, Jonhs Mariano de Sousa emprestou o carro usado no crime.

O corpo de Thais foi localizado no último dia 31 de janeiro, em avançado estado de decomposição. A perícia constatou que ela havia sido morta com um tiro na cabeça. Na ocasião do crime, a família informou que ela tinha sido vista pela última vez cinco dias antes, entrando em um carro de cor prata.

O delegado regional de Luziânia, Rodrigo Mendes, afirmou que a motivação passional não pode ser usada como pretexto para o assassinato. "A motivação do crime, pelo que a Polícia Civil apurou, teria sido traições praticadas por parte da vítima. Mas isso não justifica a prática de um homicídio", desataca. 

Dois carros usados no crime serão submetidos à perícia para verificar se há ou não marcas de sangue da vítima. Francisco já era investigado por outro homicídio cometido na cidade.

Os suspeitos estão presos preventivamente. Eles devem responder por homicídio triplamente qualificado. Se condenados, podem pegar até 30 anos de prisão.

Marido e mais dois são presos suspeitos de matar estudante em Luziânia, GO.
Fonte: Querência em Foco com G1 GO

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.