NOTÍCIA - prefeitura/politica

12 de setembro de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Fávaro diz que Silval “usaria” até Jesus para escapar da prisão.

Atual vice sugere que ex-governador do Estado inventou fatos e se defende de acusação.
Fávaro diz que Silval “usaria” até Jesus para escapar da prisão.

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) afirmou que o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) inventou fatos que aparecem em sua delação premiada, como forma de conseguir se livrar da prisão.

O ex-governador estava preso desde setembro de 2015, em decorrência da 1ª fase da Operação Sodoma. Desde então, teve outros mandados de prisão decretados contra si, sem conseguir liberdade na Justiça.

Em junho deste ano, ele teve a prisão revogada por decisão da juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital. Em agosto, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou o acordo de delação do ex-governador.

Se perguntassem para Silval Barbosa, depois de mais de dois anos preso, se ele bateu algum prego na mão de Jesus Cristo, ele diria que sim, para que pudesse ser solto
“A delação premiada é um instrumento jurídico muito importante hoje no Brasil. Só que, o exemplo da JBS e do Joesley Batista mostra que o cidadão, quando preso, joga ao vento o que quiser. Se perguntassem para Silval Barbosa, depois de mais de dois anos preso, se ele bateu algum prego na mão de Jesus Cristo, ele diria que sim, para que pudesse ser solto”, disse Fávaro, ao ser questionado sobre os conteúdos delatados por Silval.

“Tem muita coisa errada, que precisa ser corrigida até para que os culpados sejam responsabilizados. O Silval colocou todo mundo no mesmo balaio. Tem que separar quem tem culpa, quem tem crime e quem não tem”, disse o vice-governador.

“Delatado”

O vice-governador, que também foi citado na delação de Silval Barbosa, se defendeu das acusações que pesam contra ele.

Silval afirmou que Fávaro o procurou, em 2011, para conseguir receber um empréstimo de R$ 1 milhão feito para o atual secretário de Políticas Agrícolas do Ministério da Agricultura, Neri Geller, nas eleições de 2010.

Segundo Silval, Fávaro emprestou o dinheiro para que Geller utilizasse na campanha de deputado federal daquele ano.

Em 2011, ambos o teriam procurado, no Palácio Paiaguás, pedindo ajuda para pagar a dívida, pois, segundo Silval, Neri não tinha condições de honrar o compromisso.

“Ele chegou a me citar na delação dele. Mas eu tenho toda a documentação de uma operação comercial legítima, legal, que eu fiz com o agricultor Neri Geller. Tenho todos os comprovantes e contrato. Eu emprestei fertilizante para ele plantar, para que ele me devolvesse no futuro”, citou Fávaro.

“Ele teve dificuldades e demorou dois anos e meio para me pagar, inclusive pagou com maquinário. Se tivesse corrupção, eu ficaria dois anos para receber uma colheitadeira?”, questionou o vice-governador.

Fávaro afirmou ainda que irá demonstrar à Justiça que tais acusações feitas por Silval contra ele não procedem.

“Mas não devo responder isso nem a Silval Barbosa nem a ninguém. Vou me antecipar, estou juntando todas as documentações e levarei antecipadamente à Justiça para mostrar que a delação tem falhas em relação ao meu nome”, concluiu.

Fávaro diz que Silval “usaria” até Jesus para escapar da prisão.
Fonte: Querência em Foco com CAMILA RIBEIRO

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.