NOTÍCIA - Agronegócio

13 de setembro de 2017 | MENOR | MAIOR | |

Exportações de café se recuperam em agosto e registram aumento de 27,4% em relação ao mês anterior.

O oitavo mês do ano teve um total de 2.374.540 sacas exportadas, com receita cambial chegando a US$ 388,5 milhões.
Exportações de café se recuperam em agosto e registram aumento de 27,4% em relação ao mês anterior.

Em agosto, a exportação de café apresentou recuperação de 27,4% na comparação com o mês anterior, segundo relatório divulgado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Com isso, o oitavo mês do ano teve um total de 2.374.540 sacas exportadas, com receita cambial alcançando US$ 388,5 milhões, resultando no preço médio de US$ 163,63.

No acumulado do ano civil, o Brasil já exportou mais de 19,3 milhões de sacas. O volume representa um decréscimo de 9,2%, na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita cambial do ano civil teve um aumento de 3,9%, atingindo US$ 3,3 bilhões. Entre as variedades embarcadas, o café arábica foi responsável por 87,7% dos volumes exportados (16.948.257 sacas), seguido pelo solúvel, com 11,4% (2.200.674 sacas), e robusta, com 0,9% (166.317 sacas).

“Agosto já traz para o setor uma perspectiva melhor, ainda que tímida, com dados mostrando sinais de recuperação. Isso reflete também em uma tendência para os próximos meses, como consequência das últimas safras colhidas. A expectativa é que, em setembro, o volume de exportação siga com disposição a crescer em torno de 20%”, afirma o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes. “Além disso, os resultados já eram esperados por conta do cenário com uma safra menor e baixos estoques de cafés remanescentes”, complementa.

Principais destinos

No acumulado do ano civil, os Estados Unidos mantiveram a liderança do consumo do café brasileiro, com 3.823.069 sacas, representando 19,8% de participação total. Em seguida, figura a Alemanha, com 3.313.720 sacas, sendo 17,1%.

A lista ainda conta com a Itália, que importou 1.782.857 sacas do café brasileiro (9,2%), seguida do Japão, com 1.398.280 sacas (7,2%), e da Bélgica, com 1.114.367 (5,8%).

Destaca-se ainda no período o crescimento de 36,4% nos embarques do país para a Turquia (637.222 sacas), 9,2% para a Federação Russa (643.851) e 2,8% para a Itália (1.782.857 sacas).

Diferenciados

Os cafés diferenciados atingiram 2.976.800 sacas no acumulado do ano civil (de janeiro a agosto de 2017). Os principais destinos, no ano civil, seguem sendo: Estados Unidos (577.435 sacas), Alemanha (407.914 sacas), Bélgica (382.817 sacas), Itália (292.018 sacas) e Japão (291.930 sacas).

Preços

No ano civil (de janeiro a agosto de 2017), o preço médio foi de US$ 171,26, um aumento de 14,5% na comparação com o mesmo período em 2016, quando a média foi de US$ 149,63.

Portos

De janeiro a agosto de 2017, o Porto de Santos segue com a concentração da maior parte das exportações, com 85,7% (16.574.081 sacas). O Porto do Rio de Janeiro aparece na sequência, com 10,1% dos embarques (1.949.030 sacas) do período.

 

Exportações de café se recuperam em agosto e registram aumento de 27,4% em relação ao mês anterior.
Fonte: Querência em Foco com Cecafé

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.