NOTÍCIA - Policial/Acidente

04 de janeiro de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Diligências sobre caso de mulher afogada são concluídas e não apontam homicídio doloso

Diligências sobre caso de mulher afogada são concluídas e não apontam homicídio doloso

A delegada Ana Cristina Feldner, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que conduziu as diligências finais sobre o caso da morte de Vanessa Steffany Barbosa de Souza, em agosto de 2016, afirmou que não há nenhum indício de homicídio doloso (quando há intenção de matar) neste caso. Vanessa acampava com o namorado e morreu afogada em um córrego em uma zona rural no KM 16 da MT-351. O caso deve ser encaminhado para a Delegacia de Nobres.

Leia mais:
Delegado pede novas diligências para apurar caso de mulher morta afogada em córrego
 
No último mês de outubro o delegado Flávio Stringueta, que então conduzia as investigações, havia pedido novas diligências para esclarecer o caso. De acordo com a delegada Feldner, o laudo apontou apenas morte por afogamento e nenhuma das testemunhas ouviu qualquer discussão, o que poderia ter sugerido um homicídio doloso.

“Não há elementos que apontem homicídio doloso, porque ela não tinha nenhuma lesão, das testemunhas, ninguém ouviu alguma discussão, ela tinha ingerido bastante bebida alcoólica, o namorado também, os dois estavam bastante embriagados. Tinham pessoas próximas que poderiam ter escutado alguma briga, porque no mato, à noite, qualquer barulho ecoa, mas não há nenhum indício de homicídio doloso, então encerramos as investigações aqui”.

A delegado afirmou que não foi apontado nenhum tipo de lesão provocada por um suposto afogamento criminoso.

“O que o laudo apontou foi que ela morreu por afogamento, e se alguma pessoa a tivesse segurado, para que ela se afogasse, isso deixaria outro tipo de lesão, mas não teve estas lesões, a perícia não apontou estas características, mostrou só que ela morreu afogada mesmo”.

As novas diligencias pedidas pelo antigo delegado foram concluídas no final do ano passado. Agora o caso deve ser encaminhado para a Delegacia de Nobres, região onde aconteceu o fato, para alguma possível nova apuração.

“Nós encaminhamos para a delegacia da área, para o caso deles acharem possível ser homicídio culposo ou algo assim, porque aqui nós apuramos homicídio doloso e não houve nenhum indício”.

O caso
 
De acordo com o boletim de ocorrências, Vanessa estava com o namorado às margens de um córrego em uma zona rural no KM 16 da MT-351, rodovia que liga o distrito de Vila Bom Jardim a BR-163. Segundo informações do namorado, que é sargento dos Bombeiros, ela teria ingerido bebida alcoólica e se afogado enquanto ele dormia.
 
Familiares da vítima disseram que houve dificuldade para que pudessem ter acesso ao corpo, e que ele apresentava diversos hematomas. Por causa disso desconfiam do envolvimento do namorado de Vanessa. No entanto, a polícia ainda não apontou nenhuma evidência que comprova esta hipótese.

Diligências sobre caso de mulher afogada são concluídas e não apontam homicídio doloso
Fonte: Querência em Foco com Olhar Direto.

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.