NOTÍCIA - prefeitura/politica

08 de janeiro de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Com missão de finalizar obras da Copa, WS acredita em reestruturação do Estado e reeleição de Taques

Com missão de finalizar obras da Copa, WS acredita em reestruturação do Estado e reeleição de Taques

Primeiro deputado estadual a assumir uma Secretaria na gestão do governador Pedro Taques (PSDB), Wilson Santos (PSDB), chefe da Secretaria de Cidades (Secid), deu o tom do novo perfil do secretariado tucano. Famoso no meio político por ser “realizador”, Wilson deve finalizar em 2018 parte das obras inacabadas da Copa de 2014 e, finalmente, iniciar a retomada do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Para ele, o próximo ano será decisivo para a reestruturação do Estado e a reeleição de Taques não corre riscos.

Leia mais:
Governo deve gastar até R$ 450 milhões para finalizar VLT, estima Wilson Santos

“Em 2018, o Governo irá entrar o ano com os salários rigorosamente em dia, com diminuição nos gastos com a dívida pública em torno de R$ 1 bilhão, recursos que obrigatoriamente terão de ser aplicados em investimento e que não poderão ser aplicados em folha salarial ou pagamento de dívida. Ano de véspera de eleição sempre trouxe avaliações regulares aos governantes e isto reverte no ano da eleição. Vimos isto acontecer com Dante de Oliveira e Silval Barbosa. Estou muito seguro que a candidatura de Pedro Taques para reeleição é a com maiores chances de vitória”, avaliou o secretário.

Até julho deste ano [2017], a Secid havia investido cerca de R$ 12 milhões e concluído 51 obras nos municípios de Mato Grosso. Até o momento, a Secretaria não divulgou um balanço geral sobre 2017, mas afirma que mais de 500 obras são tocadas pela Pasta em todo o Estado.

Independente do quanto foi investido ou do resultado das urnas, Wilson cumpriu sua missão. Considerado o maior entrave da Pasta, as obras inacabadas da Copa de 2014 finalmente começaram a andar. “Estou aqui há um ano e a nossa missão era destravar as obras da Copa e aproximar a secretaria dos municípios. Quando assumi, tínhamos 16 obras paradas e conseguimos destravar 11 delas”, orgulha-se em dizer.

Para o próximo ano, entre as promessas da Secretaria estão a entrega do Centro Oficial de Treinamento da Universidade Federal de Mato Grosso (COT da UFMT) e a tão esperada retomadas das obras do VLT.

O COT da UFMT, que assim como as demais obras da Copa deveria ter sido entregue em 2014, está com cerca de 90% concluído. Em agosto deste ano, Wilson Santos chegou a dizer que se as condições climáticas ajudassem a obra estaria pronta até o natal. Já em dezembro, em entrevista ao Olhar Direto, o tucano reconsiderou a data.

“Choveu! A obra está indo bem, tivemos ótimas noticias. Nós tínhamos dois COT’s, o do Pari em Várzea Grande e o da UFMT. Não tínhamos dinheiro para concluir os dois, então decidimos fazer pelo menos um e optamos pelo COT da UFMT. A pista já chegou, está em Itajaí, em três semanas no máximo a pista chega a Cuiabá. A concretagem foi retomada, mesmo com esses intervalos de chuva”,  disse.

Já o VLT, cujas obras estão paralisadas desde 2014, será retomado em junho de 2018, conforme expectativas da Secid. O modal deverá ser viabilizado, a partir de agora, por meio de Regime Diferenciado de Contratação (RDC) e gerido, posteriormente, através de Parceria Público-Privada (PPP). Além disso, uma trincheira será excluída do projeto, com o objetivo de enxugar o valor final. (Saiba mais detalhes AQUI)

“Nós vamos eliminar uma trincheira na Avenida Rubens de Mendonça, próximo a Havan, as estações serão mais simples, os terminais serão mais simples, de forma que nós vamos diminuir os custos. Já temos R$ 193 milhões em caixa e no final de janeiro nós teremos um valor definitivo de quanto vai custar, e buscaremos no mercado, na Caixa Econômica, no Banco do Brasil, o restante do dinheiro para concluir a obra do VLT”, explicou Wilson Santos.

Otimista, o tucano afirmou ainda que 2018 será o ano em que o Governo de Mato Grosso deverá contar com o maior volume de investimentos . Os recursos, de acordo com Wilson Santos, deverão ser provenientes das concessões de dezenas de rodovias estaduais.

“A Sefaz já sinaliza há alguns meses uma maior eficiência na arrecadação. O governo baixou decreto determinando economia na ordem de 30% do seu gasto com custeio. O ano que vem poderá ser o ano em que o Governo terá o maior investimento de todos os tempos. Se conseguir investir R$ 500 milhões será um recorde na história de Mato Grosso para um último ano do Executivo”, finalizou.

Com missão de finalizar obras da Copa, WS acredita em reestruturação do Estado e reeleição de Taques
Fonte: Querência em Foco com Érika Oliveira.

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.