NOTÍCIA - Agronegócio

11 de janeiro de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Café: Cotações do arábica operam com leve baixa nesta manhã de 5ª em NY e estendem perdas véspera

Por volta das 09h30 (horário de Brasília), o contrato março/18 estava cotado a 123,20 cents/lb com baixa de 75 pontos, o maio/18 caía 75 pontos, a 125,60 cents/lb
Café: Cotações do arábica operam com leve baixa nesta manhã de 5ª em NY e estendem perdas véspera

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com leve queda nesta manhã de quinta-feira (11). O mercado estende as perdas da véspera ainda de olho as nas informações que apontam melhora nas condições de produção no Brasil, maior produtor e exportador, e com suporte de indicadores gráficos.

Por volta das 09h30 (horário de Brasília), o contrato março/18 estava cotado a 123,20 cents/lb com baixa de 75 pontos, o maio/18 caía 75 pontos, a 125,60 cents/lb. Já o vencimento julho/18 trabalhava com recuo de 70 pontos, negociado a 127,95 cents/lb, e o setembro/18 tinha desvalorização de 70 pontos, cotado a 130,30 cents/lb.

De acordo com o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, o mercado tem acompanhado mais neste momento as informações sobre a próxima safra. "Ideias de grande potencial de produção para o Brasil, Honduras e Vietnã repercutem e são os principais tópicos das conversas. No entanto, os gráficos diários mostram que as tendências estão indefinidas".

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 450,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços estavam cotados a R$ 440,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) eram negociados a R$ 436,00 a saca. Os negócios no mercado interno seguem lentos, mas devem voltar a ganhar ritmo nos próximos dias.

Veja como fechou o mercado na quarta-feira:

Café: Bolsa de Nova York cai mais de 100 pts nesta 4ª feira com maior otimismo com safra do Brasil

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta quarta-feira (10) com queda de mais de 100 pontos nos principais vencimentos. Volta a pesar sobre o mercado do grão as informações sobre melhora nas condições de produção no Brasil e indicadores gráficos também impactam as cotações.

O vencimento março/18 fechou a sessão de hoje cotado a 123,95 cents/lb com queda de 120 pontos, o maio/18 registrou 126,35 cents/lb com recuo de 120 pontos. Já o contrato julho/18 encerrou o dia com 128,65 cents/lb e desvalorização de 120 pontos e o setembro/18, mais distante, fechou a sessão cotado a 131,00 cents/lb com 115 pontos de baixa.

De acordo com o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, o mercado tem acompanhado mais neste momento as informações sobre a próxima safra. "Ideias de grande potencial de produção para o Brasil, Honduras e Vietnã repercutem e são os principais tópicos das conversas. No entanto, os gráficos diários mostram que as tendências estão indefinidas".

Tem chovido bem nas principais regiões produtoras do Brasil e os operadores ficaram otimistas com a produção na safra 2018/19. O câmbio também tem contribuído para as quedas recentes no mercado. O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP) já havia destacado na semana passada a possibilidade de queda nos preços nacionais e internacionais.

Indicadores gráficos também deram pressão aos preços externos do café nesta quarta-feira. O mercado recuou nos últimos dias e caiu abaixo de US$ 1,30 por libra-peso, o que favorece perdas mais expressivas. Ainda assim, durante parte do dia, as cotações na ICE chegaram a trabalhar com leve alta ante o fechamento praticamente estável da véspera.

Mercado interno

O fim da semana se aproxima e a lentidão segue no mercado brasileiro, com poucos negócios sendo registrados. Segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP), envolvidos devem voltar às mesas nos próximos dias.

"Como muitos agentes consultados pelo Cepea ainda estão fora do mercado, os negócios de café seguem calmos neste início de ano. A expectativa é que grande parte dos compradores e vendedores retorne ao spot nas próximas semanas", disse o órgão em nota nesta quarta.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 500,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Poços de Caldas (MG) com queda de 1,06% e saca a R$ 467,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 470,00 – estável. A maior oscilação dentre as praças no dia ocorreu em Varginha (MG) com queda de 1,09% e saca cotada a R$ 455,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Araguari (MG) (estável) e Franca (SP) (estável), ambas com saca a R$ 460,00. A maior oscilação no dia ocorreu em Poços de Caldas (MG) com queda de 1,13% e saca a R$ 436,00.

Na segunda-feira (8), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 448,34 e baixa de 0,17%.

Café: Cotações do arábica operam com leve baixa nesta manhã de 5ª em NY e estendem perdas véspera
Fonte: Querência em Foco com Notícias Agrícolas .

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.