NOTÍCIA - prefeitura/politica

05 de abril de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Taques diz que não foi pego de surpresa e que renúncia de Fávaro não atrapalha estado

Taques diz que não foi pego de surpresa e que renúncia de Fávaro não atrapalha estado

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou, no final da manhã desta quinta-feira (5), que não ficou ‘nenhum pouco’ surpreso com a saída do agora ex-vice governador Carlos Fávaro (PSD)  do governo. Segundo ele, os dois já haviam conversado na semana passada, e Fávaro havia sinalizado sua vontade de sair para se dedicar à sua candidatura ao Senado.

Leia também:
Não poderia ser candidato e receber salário de R$ 20 mil, justifica Fávaro sobre renúncia; veja vídeo

“Outros vices que querem concorrer a outros cargos estão fazendo isso, assim como governadores. eu estou focado, como vocês viram, há quatro horas sentado trabalhando pelo estado de Mato Grosso, e vou continuar fazendo isso”, disse o governador, em entrevista a jornalistas no Palácio Paiaguás.

Fávaro protocolou seu pedido de renúncia na manhã desta quinta (5), na Assembleia Legislativa. Caso Taques se afastasse do cargo nos próximos meses e Fávaro assumisse, tornaria-se inelegível ao Senado. Em sua justificativa, o agora ex-vice não citou esse temor e preferiu afirmar que não concorda com a ideia de trabalhar por sua candidatura e ao mesmo tempo manter estrutura do atual cargo e receber salário do Estado.

Para o governador, a decisão de Fávaro de se afastar é “absolutamente legítima”. “Eu quero expressar ao Carlos Fávaro o meu respeito e agradecê-lo por esse período que ele ajudou a administrar bem Mato Grosso”, disse.

Entenda:

Quem é o "vice" agora?


Com a renúncia, Botelho passa a ser o próximo da linha sucessória de Taques e também torna-se inelegível à reeleição caso assuma o governo nos próximos meses. Caso o cargo de governador fique vago e Botelho não assuma o controle do Estado, Rui Ramos, presidente do TJ, assume o cargo.

Candidatura em risco
 

Com o temor de assumir o governo e perder a elegibilidade para o Senado, um projeto de lei chegou a ser criado para obrigar o governador a avisar sobre a vacância com 48h de antecedência, o que ajudaria Fávaro a se resguardar.

Conforme Olhar Direto antecipou ontem, o presidente da AL, Eduardo Botelho (DEM), afirmou que não "ambiente" para se fazer a votação.  Além disso, a reportagem apurou que o parecer da Comissão de Constituição e Justiça da AL também é pela inconstitucionalidade do projeto. Sem nenhuma garantia de que não vai prejudicar seu projeto eleitoral, Fávaro optou por deixar a Vice-Governadoria.

Taques diz que não foi pego de surpresa e que renúncia de Fávaro não atrapalha estado
Fonte: Querência em Foco com Isabela Mercuri

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.