NOTÍCIA - prefeitura/politica

17 de abril de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Universidades no Nortão e no Araguaia serão próximos desafios, diz Wellington

O anúncio foi feito na última sexta-feira, 13, durante o Seminário “Implantação e Gestão da Universidade Federal de Rondonópolis"
Universidades no Nortão e no Araguaia serão próximos desafios, diz Wellington

A instalação de uma universidade federal na cidade de Sinop, para desenvolver o ensino público e gratuito na região Norte do Estado, e uma em Barra do Garças, para atender as necessidades educacionais de ensino superior no Vale Araguaia, que envolve Mato Grosso e Goiás, serão os próximos desafios na área da educação, segundo o senador Wellington Fagundes (PR-MT). O anúncio foi feito na última sexta-feira, 13, durante o Seminário “Implantação e Gestão da Universidade Federal de Rondonópolis”, recém-criada pelo Governo.

“É um compromisso do meu mandato com Mato Grosso” – disse o parlamentar, ao fazer a abertura do evento ocorrido em Rondonópolis, que tratou de experiências de outras universidades federais recém-criadas para definição do melhor modelo a ser adotado pela UFR, inclusive com diretrizes para parcerias com a iniciativa privada e demais setores sociais.

Os passos para criação dessas duas novas universidades deverão seguir o mesmo modelo de trabalho da UFR, isto é, por desmembramento do campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Segundo o senador, o tempo para tal, porém, poderá ser bem mais curto. “Já temos a experiência e os caminhos para abreviar esse processo” – salientou.

Fagundes lembrou que Mato Grosso é um Estado de dimensões continentais: mais de 903 mil quilômetros quadrados e uma população de pouco mais de 3 milhões e 300 mil habitantes, distribuídos em 141 municípios, figurando como maior produtor de grãos e de proteína animal do país.  Ele ainda ressaltou o potencial de expansão e desenvolvimento do Estado, “capaz  de alavancar o Brasil a patamares ainda maiores”.

Mato Grosso – acrescentou o senador –  “tem feito a lição de casa”, e agora depende de poucos fatores para seguir “oferecendo exuberantes respostas econômicas e sociais”. Para isso, defendeu a expansão universitária.

O Campus da UFMT em Sinop possui uma área de 3.194 quilômetros quadrados. A cidade é o principal polo econômico e universitário do norte do Estado, com população superior a 105 mil habitantes. Baseado em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP/MEC), a região desponta como grande potencial estudantil, registrando mais de 6 mil matrículas no Ensino Médio, em escolas estaduais e privadas, somente na cidade de Sinop. 

Criado em 1981, o Campus da UFMT no Araguaia, por sua vez, teve suas instalações ampliadas a partir do Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, instituído em 2007. Com isso, foi possível aumentar o número de vagas e também de cursos. 

Recursos para 2019 – Durante o seminário da UFR, o senador Wellington Fagundes informou que a nova universidade já deverá dispor de sua unidade orçamentária para o ano que vem. Ele anunciou encaminhamento de expediente aos ministérios da Educação e do Planejamento e Gestão para inclusão de rubrica no Orçamento Geral da União/2019.  O objetivo, segundo o senador, é permitir que o processo tenha “agilidade, transparência e flexibilidade”.

O seminário de Rondonópolis contou com a participação do ministro dos Transportes, Valter Casimiro, do secretário de Educação superior do Ministério da Educação, Paulo Barone, do diretor-executivo do Instituto Legislativo Brasileiro, Antônio Helder Medeiros Rebouças, além dos senadores Wellington Fagundes e José Medeiros, os deputados federais Valtenir Pereira e Adilton Sachetti, dos deputados estaduais Ondanir Bortolini (Nininho) e Sebastião Rezende, da pró-reitora do campus de Rondonópolis, Analy Castilho, ex-reitores Paulo Speller e Maria Lúcia Neder, além de representantes da sociedade civil, prefeitos e vereadores das regiões Sul e Sudeste de Mato Grosso.

Universidades no Nortão e no Araguaia serão próximos desafios, diz Wellington
Fonte: Querência em Foco com Redação Agencia da Noticia

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.