NOTÍCIA - prefeitura/politica

09 de maio de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Empresário alvo do Gaeco teria recebido mais de R$ 6 milhões em esquema; veja lista dos presos

Empresário alvo do Gaeco teria recebido mais de R$ 6 milhões em esquema; veja lista dos presos

Preso na segunda fase da ‘Operação Bereré’, denominada ‘Bônus’, o empresário Valter José Kobori, sócio da empresa JK Desenvolvimento Humano e Treinamento Gerencial teria recebido mais de R$ 6 milhões do esquema criminoso que estava instalado no Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O suspeito foi citado na delação do ex-presidente da autarquia, Teodoro Lopes, o Dóia.

Leia mais:
Ex-secretário da Casa Civil, deputado e mais três são presos pelo Gaeco
 
Conforme as investigações do Ministério Público Estadual, Kobori recebeu, através de empresas de sua propriedade e com as quais tem ligação, R$ 6.389.577. Além disto, também foi comprovado que o empresário é membro do Conselho Administrativo da empresa Canal da Peça e sócio estrategista da empesa JK Capital Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda.
 
Foi através delas que o empresário teria recebido mais de R$ 6 milhões em pequenas transações, que teriam ocorrido entre 2011 e 2016. Todo o montante era repassado pela empresa EIG Mercados, antiga FDL Serviços.
 
O Ministério Público detalha que a empresa JK Desenvolvimento recebeu R$ 171,1 mil em 2013, divididos em quatro parcelas. Em 2014, foram duas da EIG Mercados, totalizando R$ 84,4 mil. A empresa JK Capital Consultoria recebeu valores da EIG de 2012 a 2016, somando uma quantia total de R$ 723,3 mil. Em 2012, ela recebeu R$ 33,7 mil, em quatro parcelas. Em 2013, o valor foi de R$ 170,4 mil, em 11 parcelas.
 
Entre novembro de 2011 e fevereiro de 2016, Kobori também recebeu, em seu nome, mais de R$ 3 milhões. Em 2011, recebeu R$ 3,1 mil; em 2013, R$ 41,8 mil; em 2014, R$ 1,1 milhão. Em 2015, o repasse da EIG Mercados para Kobori foi de R$ 1,5 milhão e em 2016 o montante foi de apenas R$ 169,9 mil.
 
Além disto, os investigados no esquema também teriam repassado um montante superior a R$ 2 milhões para a empresa Canal da Peça S.A.. José Ferreira Gonçalves Neto repassou um total de R$ 1,7 milhões a empresa em que Kobori é membro do Conselho Administrativo. Foram 20 parcelas transferidas ao longo de 2015.

Operação Bônus

O ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques e o deputado estadual, Mauro Savi (DEM), foram presos em uma ação conjunta do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco), na segunda fase da 'Operação Bereré', deflagrada na manhã desta quarta-feira (09). Além deles, outras quatro pessoas também tiveram mandados de prisão.

A segunda fase da 'Operação Bereré' foi batizada de 'Bônus'. Foram expedidos, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, seis mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo (SP) e Brasília (DF). As ordens partiram do desembargador José Zuquim Nogueira.

A 'Operação Bônus' é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas. Tem como objetivo desmantelar organização criminosa instalada dentro do Detran para desvio de recursos públicos.  
 
Bereré
 
A ‘Bereré’ é desdobramento da colaboração premiada do ex-presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT), Teodoro Lopes, o “Doia". Dentre as informações prestadas por Doia, consta suposto esquema de cobrança de propina com uma empresa que prestava serviços de gravame - um registro do Detran.
 
Na primeira fase, os mandados foram cumpridos na Assembleia Legislativa de Mato Grosso e na casa de Savi e Eduardo Botelho (PSB). O ex-deputado federal Pedro Henry é alvo também. O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho (PSB), é outro investigado.
 
O governador Pedro Taques (PSDB) decretou a intervenção do Estado no contrato que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) havia firmado com a EIG Mercados para registro dos contratos de financiamento de veículos com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil, de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor no Estado. A empresa foi alvo da ‘Operação Bereré’ e é apontada como pivô do esquema que teria desviado R$ 27,7 milhões.
 
Confira abaixo os alvos da ‘Operação Bônus’:
 
Mauro Savi (deputado estadual)
Paulo César Zamar Taques (ex-chefe da Casa Civil)
Roque Anildo Reinheimer
Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo”
Valter José Kobori (empresário)

Empresário alvo do Gaeco teria recebido mais de R$ 6 milhões em esquema; veja lista dos presos
Fonte: Querência Em Foco com Wesley Santiago

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.