NOTÍCIA - prefeitura/politica

16 de maio de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Vereadores de Cuiabá aprovam alteração e presidente da Câmara pode ser reeleito

Justino Malheiros (PV), que em 2017 foi eleito para o cargo sem nenhum concorrente, poderá se recandidatar a presidente do Legislativo municipal.
Vereadores de Cuiabá aprovam alteração e presidente da Câmara pode ser reeleito

Um projeto que altera o Artigo 23 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cuiabá, que impedia a reeleição dos membros da Mesa Diretora para as funções, foi aprovado pelos vereadores na sessão desta terça-feira (15).

Com isso, o presidente Justino Malheiros (PV) poderá ser reconduzido ao cargo, assim como os outros integrantes da Mesa Diretora.

A eleição para a escolha da nova Mesa Diretora para o biênio 2019/2020 deve acontecer no segundo semestre deste ano.

O projeto do vereador Marcrean Santos (PRTB), que foi subscrito pelo próprio Justino Malheiros depois que o autor se licenciou do cargo para assumir vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), foi aprovado por 13 votos a 12. O voto de desempate foi do próprio Malheiros.

O projeto tramitou em regime de urgência na Casa de Leis.

Justino foi eleito presidente no dia 1º de janeiro de 2017, sem nenhum concorrente. A chapa encabeçada por ele foi a única que se candidatou à presidência na época.

No mandato, as maiores polêmicas dizem respeito a servidores. Em outubro de 2017, a Câmara de Cuiabá demitiu 460 contratados para atender a decisão judicial que suspendeu a suplementação orçamentária no valor de R$ 6,7 milhões.

No início deste mês, ele foi denunciado ao Ministério Público Estadual (MPE) pela ONG Moral por suspeita de excesso de servidores contratados. Segundo a denúncia, só na presidência do órgão tem 26 comissionados.

Ao todo, de acordo com a ONG, esses 36 servidores mantidos pela presidência, custam aos cofres públicos quase R$ 77 mil.

 

 

Vereadores de Cuiabá aprovam alteração e presidente da Câmara pode ser reeleito
Fonte: Querência Em Foco com G1 MT

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.