NOTÍCIA - prefeitura/politica

11 de julho de 2018 | MENOR | MAIOR | |

“Aliança não será grande, mas terá amigos leais e suficientes”

Grupo de Taques conta com sete partidos e deve usar vaga de Senado e vice para atrair novos aliados
“Aliança não será grande, mas terá amigos leais e suficientes”

O ex-secretário de Estado de Educação e pré-candidato a deputado federal, Marco Aurélio Marrafon (PPS), disse não acreditar que o governador Pedro Taques (PSDB) chegue a 13 partidos em sua chapa à reeleição, a exemplo do que ocorreu em sua campanha anterior, em 2014.

 

Apesar disso, o aliado afirmou que o governador terá "amigos leais e suficientes" em sua coligação.

 

“Tem desde partidos menores até maiores. E estamos em diálogo com outras siglas. O diálogo não para. Não vai ser tão grande como em 2014. Vai ser uma aliança de amigos leais e suficientes”, disse.

 

Apesar de não citar ninguém, uma das chapas adversárias à reeleição de Taques é composta por ex-aliados do tucano. Entre eles, o pré-candidato ao Governo Mauro Mendes (DEM).

 

Marrafon afirmou que até o momento a aliança conta com sete partidos. O número, segundo ele, tende a chegar a 10.

 

Em recente entrevista ao MidiaNews, o presidente do PSDB em Mato Grosso, Paulo Borges, afirmou que o governador deve sair à reeleição tendo o mesmo número de partidos que em 2014.

 

“Até o momento, estamos contando com PSDB, PSB, SD, PPS, PRTB, Patriotas e Avante. São os sete que têm participado mais, mas conversamos ainda com mais três. Devemos fechar a aliança com até 10 partidos”, afirmou.

 

Marrafon defendeu que Taques use uma das vagas de senador e a de vice-governador para atrair mais membros para sua coligação.

 

“Creio que ele usará isso. Ainda tem muita conversa, muita coisa para acontecer. O governador tem muita entrega para fazer. A população está vendo na base a diferença da atual gestão. É uma gestão voltada para quem mais precisa. Para as pessoas mais carentes. Temos isso a nosso favor”, disse.

 

Rejeição

 

Na semana passada, Marrafon já havia dito que a rejeição de Taques caiu de maneira significativa nos últimos meses.

 

Desta forma, ele disse acreditar que o tucano tem viabilidade para a disputa deste ano.

 

Na primeira rodada de pesquisas em Mato Grosso, o Instituto Voice Pesquisas identificou Taques como o mais rejeitado pelos eleitores. Um total de 26,2% dos entrevistados disse que não votaria nele de jeito nenhum. Em seguida, está o ex-governador Jaime Campos (DEM), que é rejeitado por 6,7% do eleitorado. A pesquisa foi registrada no TRE-MT.

 

"Hoje a rejeição já está em patamares de reeleição. Começava, há uns três meses, em uma média de 40%. Hoje, já está batendo na casa dos 28%. O próprio Voice Pesquisas já identificou isso. Então, é mais mito do que efetivamente a realidade”, afirmou.

“Aliança não será grande, mas terá amigos leais e suficientes”
Fonte: Querencia em Foco com DOUGLAS TRIELLI .

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.