NOTÍCIA - prefeitura/politica

30 de julho de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Emanuel diz que grupo de Fagundes tem “inflação de nomes”

Prefeito citou nomes como o de Sachetti, Medeiros, Maria Lúcia Neder e Galindo
Emanuel diz que grupo de Fagundes tem “inflação de nomes”

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou que o senador e pré-candidato ao Governo, Wellington Fagundes (PR), lida com uma “inflação de nomes” tanto para as duas vagas ao Senado quanto para a vice-governadoria.

 

Emanuel afirmou que há algum tempo está acompanhando as discussões em torno do arco de alianças que vem sendo formado pelo republicano já que, até cerca de 15 dias atrás, o MDB fazia parte desse grupo.

 

Na última semana, no entanto, o partido - liderado em Mato Grosso pelo deputado federal Carlos Bezerra – decidiu declarar apoio à pré-candidatura de Mauro Mendes.

 

“Nós ajudamos a construir a pré-candidatura do senador Wellington ao Governo. O MDB estava nesse processo. E temos lá, uma inflação de grandes nomes para vice do  e para o Senado”, disse o prefeito.

 

“Temos a reitora da UFMT, Maria Lucia, seja para senadora ou vice. Temos grandes nomes no PTB, como o ex-prefeito Chico Galindo, para vice. No PP, tem o Neri Geller que é um bom nome para federal, senador ou vice. Tem a ex-senadora Serys, que pode ser federal ou vice”, listou o emedebista.

 

Ele também citou o nome do senador José Medeiros (Podemos), que articula sua reeleição e que tem mantido conversas com Fagundes.

 

O prefeito considerou também o nome do deputado federal Adilton Sachetti (PRB), que na manhã desta quinta-feira (26), decidiu que irá trabalhar sua pré-candidatura ao Senado longe do grupo de Mauro Mendes.

 

“Enfim, falta de opção esse arco de alianças não tem. Temos uma inflação de grandes nomes”, repetiu o prefeito.

 

“Neutralidade”

 

Apesar de “palpitar” sobre essas possíveis composições, Emanuel afirmou que manterá uma postura de neutralidade durante a disputa eleitoral deste ano, em razão sua sigla deixar de apoiar Fagundes para se aliar a Mauro Mendes.

 

“Eu respeito a decisão do partido, mas também quero ser respeitado. Estou sendo coerente com aquilo que estávamos construindo. Eu pedi licença ao meu partido para ficar neutro, porque temos um compromisso com o senador Wellington Fagundes”, afirmou.

Emanuel diz que grupo de Fagundes tem “inflação de nomes”
Fonte: Querencia em Foco com CAMILA RIBEIRO E DOUGLAS TRIELLI .

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.