NOTÍCIA - geral

01 de outubro de 2018 | MENOR | MAIOR | |

“Eu quero muito ser mãe”, diz IZA que irá se casar este ano

“Eu quero muito ser mãe”, diz IZA que irá se casar este ano

IZA lançou na sexta-feira (28) o videoclipe do single Dona de Mim, faixa que batiza o álbum de estreia de cantora. Ela esteve em São Paulo para um evento de lançamento na sede do Twitter Brasil e em conversa com a Marie Claire diz que quis trazer a realidade de mulheres de travam uma batalha cotidiana. 

 

"Eu queria que as mulheres pudessem se enxergar no clipe, era muito mais que faze rum clipe sobre empoderamento, sendo mulheres reais ressignificada tudo no clipe. Elas estão alí fazendo algo que realmente faz", conta IZA.

 

Sonho de ser mãe


IZA conta que deseja muito ser mãe. “Eu quero demais, é o sonho da minha vida. Eu quero ser mãe nova, não acho que é a hora, mas quero uma penca, gêmeos, trigêmeos, ter muitos, adotar”, brinca a cantora.

 

A intérprete de hit Pesadão ficou noiva do produtor Sérgio Santos em agosto deste ano e o casamento está marcado para o final deste ano. O casal se conheceu nos estúdios de gravação e namora há quase um ano. A cerimônia deve ocorrer no campo, do fim da tarde até o último que sair da pista, que estarão presentes apenas família e amigos íntimos.

 

“Eu estou sonhando e planejando muito o dia do casamento. Super tenho ideia do meu vestido, tenho pasta no Pinterest. Quando você é noiva você vira noiva no segundo que coloca o anel de noivado no teu dedo, estou a louca do bem casado, só quero saber das lembrancinhas, das flores e em tudo que eu vou ter que fazer nesse casamento", diz IZA aos risos.

 

Quem deve vestir a noiva é Julia Borges. "Ela é maravilhosa, fez várias roupas minhas, é incrível, minusiosa, mas tudo pode mudar, eu tenho dois vestidos, uma para a cerimômia, com véu, mas para a festa, que vai ter show do Tchakabum, vou precisar de outro", revela IZA.

 

Dona de Mim


Diferente do hit Pesadão com Marcelo Falcão e de Ginga, a parceria com Rincon Sapiência, Dona de Mim apresenta uma faceta mais cadenciada e reflexiva de IZA. A cantora canta e dança sobre suas potencialidade e sobre superar adversidades da vida. A música traz um neo-soul com piano e sampler executados por DJ Gorky (Bonde do Rolê/Pabllo Vittar)

 

Dirigido por Felipe Sassi, o clipe exibe histórias de três mulheres que representam as batalhas cotidianas: uma professora que cuida de seus alunos como se fossem filhos, inspirado na mãe de IZA, a Dona Isabel Cristina Lima; da Bia, de 20 anos, mãe solteira aos 18 e que se vira nos trinta para criar bem seu bebê; e de Marcela, atriz que vive uma advogada trans e encara o ambiente opressor dos tribunais na busca por justiça.

 

"Elas foram escolhidas porque eu queria que as mulheres do Brasil se identificassem com o clipe. No clipe ainda tem um coral composto por um coletivo de mulheres negras sensacionais", diz IZA.

 

Ela contracena com essas mulheres poderosas tal qual uma narradora onisciente, e também como alguém que entende o que as personagens da vida real precisam enfrentar para obter êxito. Durante o esquenta para o lançamento, a cantora entrevistou as três protagonistas em suas redes sociais.

 

"Os artistas são imortais"


Iza reflete ainda sobre o atual momento histórico e político que as mulheres enfrentam e da importância, como artista, de falar sobre isso. "Esses dias viralizou um vídeo meu falando com o Serginho [Altas Horas] sobre ser artista e mesmo que cada um possa fazer o que quiser, falar o que quiser, essa é a beleza da democracia, cada um vota em quem quiser. Eu tenho meu posicionamento político, mas que bom que existe esquerda, direita e o centro, nós somos livres e que bom que isso existe. Mas, eu acho importante falar e educar as pessoas sobre o que realmente importa. Nessas eleições tem coisas que estão surgindo que não se trata de direita ou esquerda, se trata de direitos humanos, de postura de líder, que eu acho que são coisas que devem ser combatidas."

 

E ainda completa: "Todas às vezes que eu estou em um palco eu faço aquilo que eu mais amo, que é cantar. E eu pago minhas contas, que incrível. Mas eu acho que é importante falar. Tem uma entrevista da Nina Simone [cantora que ela fala: 'você ser artista é refletir aquilo que acontece na sua época', e é uma coisa que eu penso muito, os artistas são imortais, as suas músicas estão na internet, as pessoas vão achar seu trabalho. Que loucura pensar que daqui há 100 anos as pessoas vão ver o que eu estava fazendo hoje. Eu acho que isso é história, e como figura ativa e pública a gente tem que falar".

 

Para daqui 100 anos, IZA diz que quer deixar em seu legado "consistência, eu quero estar com tudo perfeito, não ter errado, e quando digo isso o erro não significa não ter uma coerência naquilo que você fala, prega e gosta".

“Eu quero muito ser mãe”, diz IZA que irá se casar este ano
Fonte: Querência em Foco com REVISTA MARIE CLAIRE .

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.