NOTÍCIA - Política

30 de novembro de 2018 | MENOR | MAIOR | |

Gustavo Oliveira assume a Fiemt e diz que lutará para manter incentivos fiscais

Gustavo Oliveira assume a Fiemt e diz que lutará para manter incentivos fiscais

Após uma eleição tumultuada, com várias liminares suspendendo e liberando o pleito, o ex-secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Gustavo Oliveira, tomou posse na manhã desta quarta-feira (28) como novo presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), com o discurso de buscar manter os incentivos fiscais ao setor. 

De acordo com Oliveira, a desoneração do setor industrial proporciona ao Governo do Estado uma arrecadação maior, de forma indireta. Ex-presidente da Fiemt, o governador eleito Mauro Mendes (DEM) tem afirmado em entrevistas recentes de que irá rever os incentivos fiscais oferecidos pelo Executivo.

 

"Os estudos mostram que a cada real que o setor público desonera na indústria, R$ 1,25 volta para os cofres públicos através de ICMS indireto, contratações, salários e outras questões. O Prodeic me parece eficiente. Precisamos aprimorar e não regredir os incentivos", afirmou Gustavo. 

 

O ex-secretário também apontou que a logística é um dos principais problemas do setor atualmente. Gustavo Oliveira afirmou que uma das possíveis saídas para sanar a questão está nas Parcerias Público Privadas (PPPs).

 

"O estado precisa de mais de oito mil quilômetros de rodovias pavimentadas e está claro que não há recursos públicos para isso. As PPPs podem ser um caminho, atraindo investidores privados para estes projetos, para acelerar isso. O setor privado tem condições de ajudar a sairmos desse momento ruim". 

 

Gustavo Oliveira comandará a Fiemt pelos próximos quatro anos, após  vencer Kennedy Sales por 24 votos a 8, nas eleições realizadas em agosto deste ano. Ele substituirá Jandir Milan, que assumiu a Federação em 2012. O agora ex-presidente passará a integrar o Conselho Fiscal da entidade.

Gustavo Oliveira assume a Fiemt e diz que lutará para manter incentivos fiscais
Fonte: Querência em Foco com Hiper Notícias

Comentários

Deixe um comentário sobre esta notícia.