Querência – MT – 11 de dezembro de 2023

Fluminense puxa fila de campeões que mantêm soberania nos Estaduais


As decisões estaduais do último domingo (9) foram marcadas pela manutenção de hegemonias. Nas seis finais do dia, em cinco o campeão foi quem defendia o título do ano anterior. O destaque foi a goleada do Fluminense sobre o Flamengo, por 4 a 1, no Maracanã, assegurando ao Tricolor o bicampeonato carioca, que não vinha desde os anos 1980. A Rádio Nacional transmitiu o duelo ao vivo.

O Rubro-Negro havia vencido o jogo de ida por 2 a 0, no mesmo estádio, na semana passada. A vantagem, porém, durou pouco. O experiente lateral Marcelo abriu o placar aos 26 minutos da etapa inicial, marcando pela primeira vez no retorno ao clube, após 17 anos. Aos 31, o atacante Germán Cano ampliou. Ele ainda anotou o terceiro, aos dez minutos do segundo tempo, no rebote de um pênalti que ele mesmo bateu. Aos 19, o volante Alexsander fez o quarto. Nos acréscimos, o lateral Ayrton Lucas descontou para o Flamengo.

O Fluminense chegou a 33 taças estaduais, diminuindo a diferença para o próprio Flamengo, maior vencedor do estado, com 37 troféus. O título deste domingo foi, também, o principal da carreira de Fernando Diniz, que só havia conquistado, como técnico, duas edições de Copa Paulista (torneio que reúne times menores de São Paulo) e uma Série A3 (terceira divisão) do Campeonato Paulista – além da Taça Guanabara deste ano, equivalente ao primeiro turno do Carioca.

Palmeiras é bicampeão paulista

Em São Paulo, o Palmeiras foi bicampeão ao atropelar o Água Santa por 4 a 0 no Allianz Parque. O Verdão fora derrotado por 2 a 1 no primeiro jogo, na Arena Barueri, mas reverteu a vantagem já no primeiro tempo, com dois gols do meia Gabriel Menino, aos 15 e aos 26 minutos, e de Endrick, aos 34. Na etapa final, o também atacante Flaco López, aos 27 minutos, decidiu a goleada.

A equipe alviverde chegou ao 25º título paulista, cinco a menos que o Corinthians. O Palmeiras não conquistava o bicampeonato estadual desde 1994, quando era dirigido por Vanderlei Luxemburgo. O treinador, aliás, foi igualado por Abel Ferreira, que também atingiu a marca de oito taças no clube, tornando-se o segundo técnico mais vitorioso da história palmeirense.

Galo conquista o tetra em Minas

A maior das hegemonias mantidas neste domingo é a do Atlético-MG, que derrotou o América-MG por 2 a 0 no Mineirão, em Belo Horizonte, para ganhar o Campeonato Mineiro pela quarta vez consecutiva. Os gols foram marcados por Hulk, aos 26 minutos do primeiro tempo e aos 25 da etapa final. O camisa 7 ainda terminou a competição como artilheiro, com 11 gols. O Alvinegro tinha a vantagem do empate por ter vencido o jogo de ida, no Independência, também na capital, por 3 a 2.

Maior campeão de Minas Gerais, o Atlético chegou a 48 títulos estaduais, abrindo dez de vantagem para o rival Cruzeiro, que não conquista a taça desde 2019. O América segue como terceiro maior vencedor, com 16 troféus. O último em 2016, diante do próprio Galo.

Nos pênaltis, Atlético é bi em Goiás

O Atlético-GO precisou dos pênaltis para vencer o Goiás na Serrinha, em Goiânia, e levar o bicampeonato goiano. No tempo normal, o Dragão perdeu por 3 a 1. O meia Luiz Fernando abriu o placar, aos 29 minutos do primeiro tempo, mas Alesson igualou aos 37 e o também atacante Vinícius virou o marcador, aos nove minutos da segunda etapa, batendo pênalti. Nos acréscimos, o meia Julián Palacios fez o terceiro dos anfitriões.

O resultado igualou o placar agregado do confronto, já que o Atlético tinha ganhado a partida de ida, no Estádio Antônio Accioly, por 2 a 0. Nos pênaltis, porém, deu Dragão. Na última cobrança do Goiás, o lateral Hugo balançou as redes, mas tocando duas vezes na bola na hora do chute. A irregularidade foi constatada pelo árbitro de vídeo e o lance considerado erro. O atacante Bruno Tubarão converteu a última batida e decretou a vitória rubro-negra por 5 a 4.

O Atlético chegou a 17 títulos estaduais, abrindo vantagem para o Vila Nova (15) como segundo maior campeão do Estado. O Goiás, com 28 conquistas, lidera a estatística.

Tocantinópolis é tri em Tocantins

O Tocantinópolis venceu o Capital por 4 a 3, no Riberão, assegurando o tricampeonato tocantinense. O Verdão do Norte tinha a vantagem do empate por ter vencido o jogo de ida por 2 a 1, no Estádio Nilton Santos, em Palmas. Foi a sexta conquista estadual do TEC, a primeira invicta. Entre os maiores campeões de Tocantins, a equipe se igualou ao Gurupi e fica atrás somente do Palmas, que tem dois títulos a mais.

O atacante Gustavo abriu o placar para os donos da casa, aos 13 minutos. O volante Ibson empatou já nos acréscimos. Aos dois minutos da segunda etapa, o atacante Marquinhos Bala colocou os visitantes à frente em Tocantinópolis (TO), mas o meia Tiago Bagagem igualou aos 14 e o atacante William virou para o Verdão, aos 23. Dez minutos depois, o meia Gabriel Caju marcou o quarto. Aos 38, o atacante Tony Love descontou para o Capital, mas já era tarde.

Athletico volta a vencer no Paraná

O único vencedor de domingo que retomou o posto de campeão no Estado foi o Athletico-PR, que segurou um empate sem gols com FC Cascavel na Arena da Baixada, em Curitiba. O Furacão havia ganhado a partida de ida por 2 a 1, no Estádio Olímpico Regional de Cascavel (PR), conquistando o título de forma invicta, com 15 vitórias em 17 jogos.

O Rubro-Negro chegou à 27ª conquista paranaense na história, voltando a levantar a taça após dois anos sem chegar, inclusive, à final da competição. O maior vencedor do Estado é o rival Coritiba, com 39 taças. O Cascavel, por sua vez, repetiu a melhor campanha no torneio, em 2021, quando também foi vice-campeão.





Agencia Brasil

Últimas notícias

Gostou? então compartilhe!