Querência – MT – 24 de fevereiro de 2024

Parapan: Brasil quebra recorde de medalhas e bocha vai a Paris 2024


A um dia do término dos Jogos Parapan-Americanos de Santiago, no Chile, a campanha brasileira já é a melhor do país na história do evento. Entre a manhã e a tarde deste sábado (25), o Brasil chegou a 317 medalhas, superando a melhor marca anterior (308), atingida há quatro anos, em Lima, no Peru.

A medalha de número 309, a do recorde, veio no parabadminton. Na classe SU5 (atletas com deficiência de membros superiores), Yuki Roberto Rodrigues foi ouro na disputa masculina ao vencer o cubano Manuel Pargas por 2 sets a 0 (21/11 e 21/17).

Yuki Roberto fatura ouro no parabadminton no Parapan de Santiago, em 25/11/2023

Yuki Roberto faturou o ouro na classe SU5, uma das 11 medalhas da delegação brasileira de parabadminton no Parapan de Santiago – Saulo Cruz/CPB/Direitos Resevados

A modalidade, aliás, rendeu 11 medalhas ao Brasil neste sábado, sendo seis de ouro. Destaque à classe SL3 (atletas com deficiência de membros inferiores), que teve pódio triplo brasileiro entre as mulheres, com Abinaécia Silva no topo, Kauana Beckenkamp (a mais jovem integrante da delegação brasileira em Santiago, com 14 anos) em segundo lugar e Adriane Ávila em terceiro.

Entre as conquistas do dia, uma garantiu vaga paralímpica. Na bocha, o Brasil foi ouro na disputa por equipes que junta as classes BC1 e BC2 (atletas com grau severo de comprometimento físico-motor e que utilizam mãos ou pés para jogar). O trio formado por Maciel Santos, Andreza Vitória e Iuri Saraiva bateu o Canadá por 8 a 2. O resultado classificou o time à Paralimpíada de Paris, na França, em 2024.

“Para mim, é uma honra trabalhar com dois jovens talentos, promissores, como a Andreza e o Iuri. Trabalhamos muito e conquistamos nosso objetivo do ano. Tenho certeza que o trabalho do ano que vem, será ainda mais duro, técnico, para buscarmos essa medalha [paralímpica]”, comemorou Maciel em entrevista à Agência Brasil.

MACIEL SANTOS - BRA x CAN - Parapan Santiago 2023 - Competição de Bocha - Equipe - BC1/BC2- em 25/11/2023

Experiente, Maciel Santos compôs a equipe brasieleira, ao lado de Andreza Vitória e Iuri Saraiva, que faturou o ouro e carimbou a vaga na Paralimpíada de Paris no ano que vem – Ana Patricia/CPB/Direitos Reservados

Outro esporte em que o Brasil se destacou foi o atletismo, com 14 medalhas na tarde deste sábado. Em duas provas, houve dobradinha brasileira. Nos 100 metros da classe T47 (atletas com deficiência nos membros superiores) para homens, o multicampeão Petrúcio Ferreira garantiu o primeiro lugar, com Washington Júnior levando a prata. No arremesso do peso feminino da classe F12 (baixa visão), Izabela Silva foi a vencedora, com Jenifer da Silva na segunda posição.

Na sexta-feira (24), os brasileiros já tinham superado os 124 ouros de Lima – o que também era recorde no Parapan. Neste momento, o Brasil lidera o quadro de Santiago com 146 medalhas douradas. É quase o total de pódios do segundo colocado, Estados Unidos (150).

O Brasil tem outras duas medalhas garantidas neste sábado, restando saber a cor. Às 19h30 (horário de Brasília), os brasileiros fazem a final do futebol de paralisados cerebrais (PC) contra os argentinos. A seleção busca o tetra do Parapan. Mais tarde, às 20h, o Brasil enfrenta a Colômbia, valendo o penta do futebol de cegos.





Agencia Brasil

Últimas notícias

Gostou? então compartilhe!